Bem vindo a este espaço de bem...

Se amas a Deus e ao próximo, se gostas de saber/discutir pontos de vista, se gostas de reflexões... Este é o teu espaço... Boa visita...

domingo, janeiro 07, 2007

Carta Pastoral 2006/2007 (4.3)

4.3. Testemunho vocacional contagiante



Hoje, o povo cristão é mais sensível às testemunhas do que aos mestres. O que atrai os jovens não é o estatuto ou papel social de uma determinada vocação. Eles são cativados pelo fascínio do testemunho. Seguem e escolhem o que é significativo para a sua existência pessoal. Têm um sexto sentido para reconhecer as pessoas que são ponto de referência para uma vida de fé e doação, que dão testemunho da beleza de uma vida que se realiza, de modo alegre e feliz, segundo o projecto de Deus.

Uma comunidade de testemunhas é o ambiente necessário para a fecundidade vocacional. Todo o adulto na fé sentirá a alegria de ser chamado e, por sua vez, a coragem de chamar com o testemunho de vida, a palavra e a interpelação directa.

As famílias cristãs são chamadas a testemunhar o amor na abertura às necessidades da Igreja e do mundo, a promover um clima de fé e a oferecer o ambiente próprio para uma saudável educação humana, afectiva e cristã, em que os jovens aprendam a usar a liberdade e a projectar a vida segundo o coração de Deus.

De modo particular, os padres e os religiosos são chamados a deixar transparecer, na sua vida pessoal e comunitária e na sua missão, a beleza e a alegria do sacerdócio e da vida consagrada. Nenhum jovem poderá, de facto, sentir um chamamento, se os seus olhos não puderem ver ao vivo na pessoa, na vida e no ministério dos padres a alegria contagiante de uma alguém que é feliz. Neste sentido é de aproveitar a celebração de ordenações, profissões de religiosos e respectivos aniversários jubilares como ocasiões preciosas de evangelização e proposta vocacional, envolvendo os jovens na preparação e na celebração.

1 comentário:

Ana disse...

«O que atrai os jovens não é o estatuto ou papel social de uma determinada vocação. Eles são cativados pelo fascínio do testemunho. Seguem e escolhem o que é significativo para a sua existência pessoal. Têm um sexto sentido para reconhecer as pessoas que são ponto de referência para uma vida de fé e doação, que dão testemunho da beleza de uma vida que se realiza, de modo alegre e feliz, segundo o projecto de Deus.»



Que palavras tão sabias, as do nosso Bispo, verdade??

Bjinhos